Sunnyvale aposta na inovação de equipamentos para codificação

por Redatores Sunnyvale

Com a evolução tecnológica, as soluções de automação estão cada vez mais velozes e assertivas, unindo a eficiência de hardware e a inteligência de software. É com essa perspectiva que a Sunnyvale oferece soluções de automação industrial que melhoram a produtividade e a eficiência dos negócios.

Fundada em 1978, a companhia distribui e representa cerca de 40 marcas de tecnologia de ponta do Japão, Estados Unidos e países da Europa, atuando em quatro divisões: codificação industrial, inspeção e controle de qualidade, embalagem e robótica industrial. A Sunnyvale é distribuidora exclusiva no Brasil da Domino Printing, fabricante de equipamentos para impressão e codificação do grupo Brother.

Instalada na capital paulista e com uma fábrica em Itaquaquecetuba (SP), onde produz dispositivos e acessórios que complementam as soluções oferecidas, a companhia possui cerca de 150 funcionários diretos e 22 distribuidores.

Na área de codificação, oferece soluções para impressão de data de validade, fabricação e lote, além de códigos 2D, de maneira customizada para a indústria automatizar e melhorar a eficiência na linha de produção. Como exemplos, a tecnologia termo ink jet, que faz impressão em alta resolução do código de barras nas embalagens e a solução que imprime e etiqueta automaticamente (também conhecida como print & apply), inclusive com a opção de utilizar RFID. Essas duas soluções estão expostas no Centro de Inovação e Tecnologia (CIT), da GS1 Brasil.

“Com a automação da codificação e marcação, é possível melhorar a produtividade e a eficiência de linha, diminuir erro operacional e fazer a rastreabilidade”, afirma o diretor comercial da Sunnyvale, João Fortes.

A companhia não comercializa apenas os equipamentos, mas a solução completa com software, que pode ser integrado com sistemas de ERP. Além disso, utiliza as tecnologias da Indústria 4.0 para oferecer a manutenção preditiva dos equipamentos.

“Nossa equipe de assistência e suporte técnico tem condições de monitorar o sistema de codificação e impressão instalado em uma indústria e prever um problema antes de acontecer. Dessa forma, conseguimos avisar o cliente que algo está anormal e que é necessário fazer uma parada programada para manutenção do equipamento”, explica o executivo. A empresa consegue fazer isso sem necessidade de ter acesso aos dados da indústria, pois os equipamentos usam rede 3G ou 4G, mantendo a privacidade dos dados.

Tendências

Os processos de codificação, marcação e identificação de dados dos produtos também acompanham a evolução do tecnológica, como comenta João Fortes.

“Hoje cada produto tem um rótulo diferente e para imprimir de maneira analógica, demora muito tempo. Com a solução de impressão digital, a indústria pode fazer isso de acordo com a demanda e sem parada de equipamento. É possível imprimir um código de barras variável, como o GS1 Datamatrix ou o QR Code, com impressão digital desde a ponta”, comenta.

Outra tendência da área é a codificação a laser, solução que a Sunnyvale já fornece para indústrias do ramo de bebidas no Brasil. “O segmento de bebidas vinha procurando uma solução para codificação na lata de alumínio em alta velocidade, para imprimir cerca de 2 mil latas por hora. Trouxemos uma solução que imprime direto na lata de alumínio o GS1 Datamatrix para rastreabilidade, um código promocional ou identificação do produto. Esse tipo de equipamento também pode ser usado por outros segmentos”, explica o executivo.

O setor farma também tem investido na automação da codificação nas linhas de produção, por conta da lei que estabelece a rastreabilidade de medicamentos no Brasil, desde a indústria até a venda ou dispensação ao consumidor final. Para isso, a legislação determina a adoção do código GS1 DataMatrix nas embalagens de medicamentos.

“De forma geral, vemos como uma tendência cada vez maior em todos os setores não somente no farma, mas automotivo, alimentos e metalúrgico, por exemplo. O setor automotivo já está imprimindo GS1 DataMatrix e QR Code há muitos anos para ter uma rastreabilidade total vinculada ao número de chassi do veículo. É, de fato, uma tendência que começou pela regulamentação do setor farma e que deve acontecer em outros setores onde for necessário um QR Code ou Datamatrix e um sistema de câmera logo à frente, o que possibilita não somente uma rastreabilidade interna do produto dentro da indústria, como depois em toda a cadeia. Numa necessidade de recall, a indústria consegue identificar o seu produto com um código de alta qualidade”, diz João Fortes.

Além da solução para impressão automatizada do código item a item, como nos casos de cartucho de medicamentos, a Sunnyvale possui uma solução para impressão direta no comprimido, que também atende a uma necessidade da população que está ficando mais idosa e ingere vários remédios por dia. A codificação na drágea facilita a identificação do medicamento.

“Conseguimos serializar cada cápsula, imprimindo um logotipo com laser, de maneira clara e legível. Países como o Japão já tem esse tipo de codificação, que é uma tendência”, afirma João Fortes. “Já apresentamos para algumas empresas aqui no Brasil e entendemos que ainda não é o momento, mas em breve acreditamos que elas vão aderir a isso”, aposta.

Impressão sustentável

Soluções mais sustentáveis também surgem como tendência na área de codificação e impressão, a exemplo da impressão a laser (que não utiliza tinta), e da impressão diretamente na caixa de embarque, dispensando o uso de etiquetas.

“Muitas vezes, acontece de a etiqueta da caixa sair durante o transporte, então imprimindo direto na caixa de embarque, você elimina essa possibilidade e também evita a falsificação, porque é uma gravação indelével. Agora também trouxemos para o mercado uma outra solução que faz a impressão colorida em alta resolução diretamente na caixa. O código de barras GS1-128, GS1 Datamatrix ou QR Code são impressos na cor preta, mas aproveitamos a mesmo equipamento para imprimir, por exemplo, uma imagem colorida do produto na parte externa da caixa”, explica João.  “São soluções que melhoram a produtividade, a rastreabilidade, tem uma economia em escala e uma apresentação melhor do produto e ainda tem um apelo de sustentabilidade”, completa.

Ainda na área de sustentabilidade, a Sunnyvale possui um programa de recolhimento dos resíduos gerados pelos equipamentos que comercializa, como reservatórios e cartuchos de tinta vazio, que são encaminhados para reciclagem. A ação é realizada em todo o País e sem custo para o cliente.

Apoio aos clientes na pandemia

Neste período da pandemia da Covid-19, a Sunnyvale adotou uma postura tanto para preservar a saúde dos colaboradores quanto para apoiar os clientes.

De acordo com João Fortes, 95% dos funcionários passaram a trabalhar de forma remota. “Vamos retornar para o escritório de forma escalonada a partir de setembro, mas é bem provável que algumas áreas fiquem em home office até o final do ano. A empresa está indo muito bem dessa forma e, sem dúvida, o aprendizado do home office vai nos ajudar muito para o futuro”, avalia.

Em relação aos clientes, como muitas indústrias passaram a fornecer seus produtos diretamente para o consumidor final – por exemplo, um frigorífico antes fornecia uma peça inteira de carne para um restaurante, passou a vender em embalagens menores – houve uma necessidade de codificação desses produtos. Assim, a Sunnyvale continuou ativa e não enfrentou problemas graves.

O impacto maior foi em relação à importação de itens – como insumos de embalagens e tintas – por conta da restrição de voos internacionais de carga. Como estratégia, a companhia deu prioridade para atender às indústrias consideradas essenciais, como farmacêutica e alimentos.

“Quando uma empresa solicitava uma quantidade fora do padrão, a gente já entendia que o medo da pandemia estava provocando isso, mas que se fornecêssemos aquela quantidade tão alta para uma única empresa, faltaria para outras. Então, conseguimos fazer uma gestão desses insumos junto aos clientes de modo a não faltar para ninguém”, conta o executivo.

Um ponto positivo foi a estrutura que a Sunnyvale já tinha para dar um suporte remoto às indústrias. “Nos próximos anos vamos dar um foco muito forte em dar um suporte sem precisar pegar um carro ou um avião para fazer a manutenção do equipamento. O cliente entende melhor isso e a indústria 4.0 vem muito ajudar nas manutenções, treinamentos e outros processos feitos de maneira digital. Foi um aprendizado para todos”, pontua João Fortes.

Parceria com GS1 Brasil

A Sunnyvale e a GS1 Brasil atuam com um objetivo em comum: estimular a identificação e a codificação dos produtos de maneira padronizada em todo o mercado. Tanto que a algumas soluções da Sunnyvale estão expostas para demonstração no Centro de Inovação e Tecnologia (CIT), da GS1 Brasil, na capital paulista.

“A parceria com a GS1 sempre foi muito boa e proveitosa. Nós entendemos que o CIT é uma maneira muito prática para demonstrar aos clientes as soluções de identificação de produtos”, acredita João Fortes, acrescentando que muitas empresas procuram a Sunnyvale para solicitar testes ou demonstrações depois de conhecerem a solução no CIT.

“Queremos cada vez mais estreitar essa parceria para poder orientar as indústrias na escolha da melhor solução para sua operação. Muitas empresas nos procuram para imprimir o código de barras, o GS1 DataMatrix ou o QRcode, mas não têm noção que é necessário seguir o padrão GS1. Então, sempre recomendamos procurar a GS1, mas também oferecemos um treinamento inicial sobre o tema. Nessa parceria, um sempre ajuda o outro, e dessa forma, conseguimos manter a padronização da codificação em toda a cadeia”, finaliza João Fortes.

Dúvidas ou informações?

Entre em contato com nossa equipe. Com certeza iremos encontrar uma solução para melhorar o seu processo produtivo

Fale Conosco
Open chat