Embalagem para delivery: um segmento em transformação

por sunnyvale

Por Luis Gustavo Marcondes

Não é segredo para ninguém que a pandemia está mudando a forma como fazemos negócios. Algumas dessas mudanças, entretanto, tendem a se tornarem irreversíveis, isto é, mesmo quando o cenário melhorar, iremos conviver com novas tendências que, em virtude das adaptações provocadas pelo Covid-19, se tornarão permanentes e, certamente, irão crescer!

Entre os segmentos de varejo mais afetados pelo isolamento social está, sem dúvidas, o de alimentação. Bares e restaurantes tiveram, em curto prazo, que se adaptar a uma nova realidade; as mesas e os menus sofisticados servidos em pratos elaborados aos clientes deram lugar à experiência do delivery – a mesma qualidade, porém, entregue na casa do cliente.

E, como em muitas aplicações a que estamos habituados, as embalagens desempenham um papel fundamental quando o assunto é entrega de comida. Afinal, não é só um prato saboroso que conta; a aparência e a forma como ele chega à casa do consumidor são de fundamental importância. É o tripé de ouro para quem trabalha nesse mercado: acondicionamento, frescor, aparência.

Aplicativos como iFood ampliaram essa experiência, permitindo, em poucos toques, que recebamos em nossa casa pratos mais variados, bebidas e outros itens. Mas, novamente, todos eles demandam uma embalagem para acondicioná-los e protegê-los.

E atente para algo importante: quando falo de entrega de comida, estou me referindo a uma real evolução dos processos artesanais a que estávamos habituados nas antigas rotisseries; refiro-me a um mercado de escala, uma nova fronteira das indústrias de prato-pronto.

O interessante desse “novo mercado” é que, coexistindo com os restaurantes que tradicionalmente já trabalhavam com o delivery (por exemplo, disk pizzas), assistimos ao crescimento vertiginoso de estabelecimentos famosos pelos seus menus investindo em novas formas de fazer a comida chegar, com máxima qualidade e diferenciação, à casa dos clientes exigentes. Faço referência ao que chamamos de “mercado gourmet”, isto é, pratos sofisticados entregues via delivery ou mesmo em ações mais inusitadas, como a entrega de ingredientes para receitas de “chef”, muitas vezes patrocinadas por empresas fornecedoras de ingredientes. É a comida entregue em casa, mas com aparência de algo feito na hora!

Essa indústria viu-se obrigada a buscar na embalagem os recursos necessários para ter prazo de validade que permita produzir em escala, mantendo os padrões que os definiram como gourmet, o que incluem bandejas e equipamentos que permitam utilizar atmosfera modificada, vácuo, skin pack, etc.

Como os fornecedores dos segmentos de máquinas e embalagens podem contribuir com essas tendências?

Primeiramente, observando as tendências em termos de uso de matérias-primas para confecção dessas embalagens. É inegável que, também aqui, a tendência pela sustentabilidade se faz presente, de modo que, juntamente com boa comida, pode-se optar também pelo uso de embalagens com menor impacto ambiental e que possam ser recicladas.

Aqui, estudar e ter desenhado um trabalho de logística reversa é fundamental! Este mercado, assim como os outros, está se transformando de forma muito rápida, seja pela nova oferta produtos greenfriendly ou eco-friendly, seja pela demanda do consumidor que busca reduzir, reciclar e reutilizar. Novas embalagens estão sendo desenvolvidas no mundo inteiro à base de fibras naturais, como banana, cana de açúcar, coco, celulose, etc. A celulose reciclada está entre os processos mais avançados nesse desenvolvimento, reduzindo uma grande quantidade de materiais plásticos que não são biodegradáveis.

Há, ainda, exemplos inovadores, como C-PET (material que suporta de 0 a 180ºC), PP (polipropileno) que suporta de -40 a 120ºC (ideal para congelados e que pode ir ao micro-ondas), e o alumínio (que não pode ir ao micro-ondas, mas suporta de -60 a 250ºC) ideal para ir ao forno.

Outro ponto muito importante que devemos observar ao falarmos de embalagem em tempos de pandemia é a higienização. O correto manuseio e acondicionamento dos produtos torna-se, mais do que nunca, primordiais. E, aqui, não estou falando apenas das embalagens, mas ainda de opções para se garantir a segurança alimentar, embalando e fracionando os ingredientes para o pré-preparo e também pratos, talheres e outros itens para o atendimento local.

Nós da Sunnyvale, estamos sempre em busca de novas soluções e investido cada vez mais em pesquisa e desenvolvimento de produtos que atendam essas exigências, buscando parceiros no Brasil e nos principais países que possuem vanguarda nestas tendências. Para atender melhor a demanda, criamos uma divisão específica para oferecer ao mercado um portfólio inovador.

Temos uma força de vendas capacitada e estrategicamente posicionada em todo território nacional, pronta para prestar uma verdadeira consultoria aos clientes, fornecendo ao mercado desde embaladoras manuais para restaurantes, lanchonetes, catering e açougues, até sistemas completamente automáticos para centro de distribuição, agricultores, etc.

Dentro de todo o portfólio, também se destaca o fornecimento de filmes, detectores de metais, verificadores de peso, fitilhadoras e até cintadoras automáticas para agrupamento, proteção e identificação de embalagens.

Dúvidas ou informações?

Entre em contato com nossa equipe. Com certeza iremos encontrar uma solução para melhorar o seu processo produtivo

Fale Conosco
Open chat